// Sensations Travel Designer - No mar Jônico, ilha grega Zakynthos revela paisagens deslumbrantes //

Você esta aqui: Home > No mar Jônico, ilha grega Zakynthos revela paisagens deslumbrantes

SENSATIONS

No mar Jônico, ilha grega Zakynthos revela paisagens deslumbrantes

  • Estação do turismo

 Se você perguntar a um grego, ele não vai saber quantas ilhas existem em seu litoral, formado pelos mares Mediterrâneo, Jônico e Egeu. Se são três mil, ou mais de 1.400, tal como os livros escolares adotaram, tanto faz. O que ele sabe, com certeza, é que deve-se escolher uma (ou várias) entre as mais de 150 habitadas para passar as férias de verão.

Para os turistas que procuram a Grécia, nada mais natural que conhecer a capital,Atenas, e toda a sua história composta por construções de mais de 2.500 anos. Depois, hora de seguir a tradição grega, viajar para alguma das ilhas do país e aproveitar.

Para chegar a Zakynthos (ou Zante), a terceira maior ilha no mar Jônico, é preciso pegar um ferry boat que sai do porto de Kyllini, a cerca de 300 km a oeste de Atenas. A travessia dura uma hora e o ferry tem estrutura de navio, com restaurantes e lanchonetes, além de cabines para quem prefere descansar de verdade.

Até Kyllini, pela estrada, há duas opções, sendo que uma é mais curta, mas não quer dizer que leva-se menos tempo. Isso porque há trechos bem complicados e estreitos (e, vale dizer,  um pouco perigosos). No entanto, a paisagem repleta de oliveiras é fantástica. As oliveiras, aliás, estão por toda a parte. Não é à toa que a Grécia é um dos maiores produtores de azeite do mundo e a marca Minerva, por exemplo, existe desde 1904.

Ao contrário de Mikonos e Santorini, ilhas Cíclades que ficam no mar Egeu, Zakynthos não é formada por casinhas brancas com janelas e portas pintadas de azul (as cores da bandeira grega, em uma nítida manifestação contra os turcos). Zante tem influências italianas por sua proximidade, mas também porque foi a Itália que protegeu a ilha do domínio Otomano. Além dos italianos, são os ingleses que mais visitam a ilha. E, embora a moeda oficial do país seja o euro (apesar da crise, a Grécia se mantém na zona do Euro), alguns estabelecimentos aceitam a libra.

Ao contrário de qualquer outro país da Europa, a Grécia é avessa ao uso do cartão de crédito, principalmente nas ilhas. Por isso, antes de se sentar à mesa, confira se ele será aceito no restaurante, tenha sempre dinheiro em espécie na carteira e usufrua dos caixas eletrônicos.

Se Mikonos é uma ilha de hábitos noturnos, Zakynthos aposta principalmente nas águas azuis do seu litoral para atrair turistas. E não é brincadeira - principalmente por conta do fundo do mar ser de calcário, a água é extremamente azul e cristalina. Já a temperatura, mesmo no alto verão, não chega a ser quente, tal como é no mar do Caribe, mas é uma ótima pedida dar um mergulho refrescante.

Por falar em mergulho, os turistas que apreciam a prática podem explorar o mar grego de forma autônoma (com o uso de equipamento apropriado) ou praticando o snorkeling. Ainda que existam equipamentos de mergulho para comprar ou alugar na ilha, a dica é levar sua própria máscara e snorkel – afinal, é muito mais higiênico e garantido.

Uma vez na ilha, caso você ainda não tenha feito reserva em hotel, pousada ou estúdio (quarto para quatro a seis pessoas com mini-cozinha e banheiro), não se desespere. No momento em que a Grécia enfrenta a pior crise econômica que se tem notícias, os gregos estão à procura de turistas e fazem (quase) tudo para ficar com eles.

Portanto, ainda no porto, o que não vão faltar são pessoas querendo conquistar o cliente, oferecendo diversas opções de hospedagem, com os mais variados preços. Há também um serviço de apoio ao turista, só que pouco eficiente. O funcionário, embora fale inglês, não possui muitas informações sobre locais e preços; apenas uma lista com telefones de pousadas e hotéis para que o próprio cliente vá atrás e faça a negociação (aliás, pechinche sempre!).

Um dos locais interessantes para se hospedar é na praia de Planos, localizada a 15 minutos do centro. Ainda que não seja a melhor, o centrinho tem serviços, lojas, restaurantes e supermercados. E como está próxima das outras praias, se locomover para o sul ou para o norte é simples.

A partir de Planos, escolha qualquer outra para curtir o sol. E, vale lembrar, no verão ele é 100% presente e quente. As temperaturas chegam a 40º C, mas a brisa do mar ajuda a aliviar o calorão - diferentemente de Atenas, onde as temperaturas também são elevadas, mas não há o vento para refrescar.